Porque conhecer aspectos socioculturais para trabalhar em Saúde Mental?



Sabemos, impulsionado pelos estudos que se intensificaram na década 60, que a sociedade e a cultura, influenciam o comportamento humano e que seu entendimento poderia nos ajudar, tanto a diagnosticar como a recuperar o doente. Muito mais do que isto, sabemos que, se considerarmos os aspectos socioculturais de uma cidade


poderemos também investir na prevenção da saúde. O grande desafio nestes últimos anos foi a técnica que considere estes aspectos, para o trabalho sistemático, nesta dimensão pelos profissionais envolv


idos com a saúde mental. Com este objetivo, de trazer uma vasta e consagrada experiência num curso de 30 horas é que a CESUSC lança no nosso país um curso nacional recorrendo a experiência prática de dois psiquiatras, membros da Associação Brasileira de Psiquiatria Cultural.



Os doutores Marcos de Noronha de Florianópolis e Ottorino Bonvini, italiano radicado em Fortaleza, trabalham nesta dimensão em suas cidades e perguntam: Quer trabalhar com psicoterapia de grupo, presencial ou à distância, neste momento de pandemia? Qual técnica poderia contemplar objetivamente e de forma eficaz esta dimensão psicoterápica.