A Sensibilidade Social de um estudioso da Etnopsiquiatria.

Abaixo a carta que acabo de receber de Stephan Oliveira, Professor Adjunto de Neuropsiquiatria Infantil do Departamento Materno-Infantil da Faculdade de Medicina - Universidade Federal Fluminense. Ele também é Médico-psiquiatra do Capsi da linda região de Angra dos Reis . Formado em Medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em psiquiatria pelo Instituto Philippe Pinel-RJ/2003. Stephan tem Mestrado em Psicologia Clínica pela PUC do Rio de Janeiro e Doutorado em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social/UERJ. Pós-doutorando em Psiquiatria e Saúde Mental - IPUB/UFRJ. Suas linhas de pesquisas são: Abordagens plurais na psiquiatria, Etnopsiquiatria, religiosidade e transformações da experiência (healing), neurodiversidade e improvisação musical. Carta abaixo, publicada sem alterações mostrando as identificações do médico e sua espontaneidade.

Em dom, 16 de jul de 2017 às 10:30, Stephan Oliveira <stephanmoliveira@gmail.com> escreveu:

Caríssimo Marcos,

Nesta correria toda, ontem que peguei para ver com mais calma seu livro, Terapia Social. Embora, ainda não o tenha lido todo, pude extrair algumas impressões importantes para mim e despertar o desejo de ler o mesmo por completo.

Achei fantástico os referenciais sobre os quais você baseia sua abordagem, como a etnopsiquiatria, menções às arteterapias bem como a analogia que faz com o psicodrama.